Bitcoin cai abaixo dos US$ 10 mil

O bitcoin continua sofrendo fortes quedas nesta quarta-feira (17) e caiu abaixo do patamar de US$ 10 mil. Para analistas, a queda ocorreu depois que países sinalizaram intenção de regular o setor de criptomoedas.

Por volta das 18h40 (horário de Brasília), a criptomoeda havia recuperado parte das perdas e era cotada a US$ 10.692.

No começo da tarde, quando a moeda chegou a ser vendida a US$ 9,8 mil, o recuo era de 36,8% desde o começo do ano. A moeda beirou oo recorde de US$ 20 mil na véspera do Natal de 2017.

Todas as criptomoedas estão sendo afetadas pela queda. É o caso do ethereum, do ripple e do bitcoin cash.

Os analistas explicam o fenômeno pelas informações sobre um endurecimento da regulação das criptomoedas, em particular na Coreia do Sul e na China.

Na semana passada, o governo sul-coreano explicou que estava se preparando para proibir o intercâmbio de criptomoedas, mas pouco depois retificou e disse que era apenas uma possibilidade.

A Coreia do Sul é um dos países do mundo com mais plataformas de intercâmbio de bitcoins, lembra a consultoria Capital Economics.

Os investidores também foram afetados pelos boatos, segundo os quais a China estaria a ponto de proibir a “mineração” de bitcoins, o processo informático que permite emitir esta moeda.

Nesta quarta, analistas do Citi apontaram que o bitcoin pode perder 50% de seu valor em relação ao nível atual, em meio a temores de investidores de que autoridades regulatórias reprimam a negociação de moedas digitais. A moeda digital poderá cair para entre US$ 5.605 e US$ 5.673 , com base em fatores técnicos. Este movimento “parece muito provável de ocorrer muito rapidamente”, escreveram os analistas em relatório.

Sobre André Luiz Badaró

Diretor Executivo e Jornalista Responsável