CGJ PROMOVE CORREIÇÃO EM CUBATÃO, SÃO VICENTE E GUARUJÁ

ImageFetchAs comarcas de Cubatão, São Vicente e Guarujá receberam visita correicional na última quinta-feira (20). O corregedor-geral da Justiça, desembargador Hamilton Elliot Akel, esteve nos fóruns acompanhado dos juízes assessores Regis Castilho Barbosa Filho, Rodrigo Marzola Colombini e Rubens Hideo Arai e de equipe de funcionários.

Em encontro com os operadores do Direito, o corregedor destacou o projeto “Justiça Cordial” e a necessidade de todos – magistrados, servidores e representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e do Ministério Público – relembrarem a reflexão do filósofo Mario Sergio Cortella, em palestra que marcou o lançamento projeto: “A vida é muito curta para ser pequena. O que apequena a vida é levá-la de forma banal, fútil e arrogante”.

O corregedor também falou sobre a importância do trabalho dos juízes e servidores para a comunidade. “Em cada processo não há apenas autor e réu; credor e devedor; consumidor e fornecedor; contribuinte ou cidadão. Não podemos esquecer que são pessoas, seres humanos que precisam ser tratados com dignidade. E o juiz deve se preocupar em ser importante para sua comarca. Ser importante não é ser famoso. A fama passa, mas o que importa fica na lembrança de cada um. Se o juiz e os funcionários entenderem que estão para bem servir a comunidade, essa sempre se recordará deles.”

Outro ponto abordado pelo corregedor foi a pacificação das demandas: “O magistrado não está apenas para julgar. Sua missão é solucionar conflitos e não apenas terminar processos. Deve ser firme em suas decisões, mas sem deixar de ser sensível às angústias que lhe são trazidas. Se todos trabalharem cientes da importância de suas atividades na vida de uma da criança abandonada, do paciente que precisa, mas não consegue local para ser tratado, entre tantos outros exemplos, o trabalho será feito com mais alegria e menos tensão. Forma-se um ambiente propício para a cordialidade.”

Em Cubatão, o desembargador Hamilton verificou que aparelhos de ar-condicionado aguardam instalação há algum tempo. Consultou a Administração do Tribunal e recebeu a informação de que o projeto da rede elétrica foi concluído e se encaminha para fase de licitação. Também ficou preocupado com a extensão da pauta de audiências criminais, e disse que colocará em prática o projeto “Solidarismo Judicial”, que buscará juízes titulares da região para ajudar a diminuí-la.

No trabalho de correição, o corregedor sempre verifica os ofícios e conversa com os funcionários. Desta vez, fez questão de conhecer o escrevente Rosielmo Mendonça Melo, muito elogiado por integrantes da OAB local. Melo começou a trabalhar aos 15 anos de idade, numa época que havia cartórios não oficializados. Hoje, aos 51 anos, é responsável por cuidar sozinho da seção criminal da 2ª Vara de Cubatão.

 

Fonte: Comunicação Social TJSP – CA (texto) / Corregedoria (fotos)

Sobre André Luiz Badaró

Diretor Executivo e Jornalista Responsável