O mercado de commodities no Brasil segundo a NADOR PRIVATE GROUP

Segundo a classificação realizada pelo Banco Mundial, o Brasil figura entre as dez maiores economias do mundo, sendo o único país da América Latina a integrar este grupo. A lista é encabeçada pelos Estados Unidos e conta com presença de Japão, Rússia, China e Índia.

 Essa classificação econômica se deve em grande parte ao setor agrícola, cuja evolução tecnológica gerou um maior volume de exportações, principalmente de commodities agrárias.

Mas o que são commodities? Quais são as principais commodities agrárias brasileiras e como esse mercado se comporta?

Commodity é um termo em inglês que designa produtos cuja a demanda não se influencia por questões de qualidade, fornecedores ou marcas. A grande maioria das commodities são produtos extraídos da terra e que possuem preço universal.

Qual a utilidade de uma commodity?

Podemos considerar as commodities como uma forma de investimento, assim como poupança, fundos de investimentos e ações. Mas vale lembrar que nem todo produto pode ser considerado uma commodity, para receber essa classificação é preciso existir uma estrutura de mercado que possibilite que compradores e vendedores realizem negociações do produto em questão. Na prática as commodities podem ser comercializadas como se fossem ações da bolsa, no entanto têm como característica a ausência de pagamento de dividendos e negociação dos títulos até no máximo o seu prazo de vencimento, uma vez que não é logico negociar produtos agrícolas que já foram colhidos e utilizados.

Commodities que o Brasil exporta

Nosso país é um dos maiores exportadores de matérias primas, com grande influência do mercado de commodities na economia. Entre as principais commodities que o Brasil exporta estão:

  • petróleo – commodity que possui características próprias, devido a sua importância global
  • açúcar
  • alumínio
  • ouro
  • café
  • carnes de boi, porco e frango
  • tabaco
  • milho
  • minério de ferro
  • soja
  • suco de laranja

A vantagem das commodities é que seu preço aumenta consideravelmente quando o mercado internacional exige maiores demandas do produto. No entanto, em cenários de crise global as commodities se desvalorizam, a ponto de prejudicar os lucros das empresas que as produzem.

Outros fatores podem influenciar diretamente no preço das commodities. Por exemplo, embargos de produção por conta de pragas ou doenças, desastres climáticos, problemas políticos e até mesmo pela mudança de percepção do consumidor sobre o produto em questão.

Para que as commodities possam se valorizar é preciso manter a qualidade da produção agrícola e estar atualizado sobre as questões que influenciam a produção de forma positiva e ou negativa. Dessa forma a formação de profissionais qualificados e com conhecimento prático se faz fundamental.

Por isso chega ao Brasil a NADOR PRIVATE GROUP  que possuí uma trading com uma vasta experiência em commodities e também em exportação e importação de diversos produtos; eles tem feitos vários negócios em vários países como: Reino Unido, São Tomé e Príncipe, Angola, Guiné, Namíbia, Moçambique, África do Sul, Estados Unidos, Portugal, Holanda, Itália, Suíça e Espanha, e agora até o final do ano com outros países da Europa e Ásia.

O representante do GRUPO NADOR em São Paulo, André Luiz Badaró, disse que nos vários países em que ela trabalha, a procura por produtos brasileiros é muito grande, devido a qualidade que os tem, além dos preços, que fazem toda a diferença nas negociações.

É o Brasil, exportando para o Mundo!

Redação JFJ

Sobre André Luiz Badaró

Diretor Executivo e Jornalista Responsável