Polícia investiga se câmera transmitiu intimidade de casal ao vivo no litoral de SP

Polícia Civil em São Vicente, no litoral de São Paulo, aguarda o laudo da perícia para verificar se a câmera encontrada por um casal de turistas em um apartamento alugado pela internet gravou imagens íntimas de ambos. O equipamento está apreendido e a empresa responsável pelo serviço vai ressarcir os gastos dos clientes. A possibilidade de uma transmissão ao vivo não foi descartada.

O caso aconteceu com uma arquiteta, de 28 anos, e um analista de sistemas, de 27, moradores da Grande São Paulo. Eles passaram o fim de semana no litoral. A suspeita é de que a câmera, encontrada atrás do espelho de um dos quartos, tenha registrado “relações amorosas”, conforme descrito em boletim de ocorrência.

O comando da polícia informou que ainda é cedo para qualquer tipo de conclusão. Entretanto, limitou-se a dizer que o equipamento foi encaminhado para a perícia científica para determinar “se há alguma imagem registrada”. A transmissão via internet não foi descartada e é alvo de apuração. A possibilidade de outras pessoas terem sido lesadas na mesma propriedade é investigada.

O prazo para que esse laudo seja finalizado e remetido à Polícia Civil também não foi estimado. O proprietário do apartamento foi descrito como o responsável pela câmera, mas não há qualquer indiciamento contra ele. O G1 não conseguiu contato com o dono do imóvel, que foi banido do site Airbnb, pelo qual o apartamento foi alugado.

‘Aterrorizada’

Em entrevista ao G1, o analista se diz receoso de ter as intimidades compartilhadas na internet. “Deixamos de viajar no réveillon para viajar no feriado de forma mais tranquila, porém, nossos planos foram frustrados. O que posso dizer neste momento é que ainda estamos muito assustados e constrangidos com a situação”.

A arquiteta se diz abalada com tudo. “Sou uma pessoa bastante reservada e estou aterrorizada, mal consigo dormir, ansiosa pelo resultado da investigação. Eu só queria ter um feriado de tranquilidade junto ao meu noivo e, agora, enfrento o pesadelo de não saber quanto minha intimidade foi violada”.

Eles encontraram a câmera após perceberem luzes piscando por trás de um espelho. Preocupados com a possibilidade de terem sido gravados, os turistas desligaram o equipamento e o retiraram do local. Instantes depois, o proprietário do local ligou para o casal questionando se “havia algum problema”.

Airbnb

A empresa Airbnb, especializada em hospedagens pela internet, decidiu ressarcir o valor gasto pelo casal de turistas. Eles pagaram R$ 922,37 por quatro diárias em um apartamento no Condomínio Edifícios Blue Moon e Blue Sky, localizado na Ilha Porchat, local com vista privilegiada da orla da cidade.

O Airbnb ainda informou que baniu permanentemente o usuário da plataforma assim que foi notificada do ocorrido. A empresa garante que as regras são claras ao proibir câmeras em quartos ou banheiros. Caso estejam em outros locais da casa, essa informação deve ser divulgada no anúncio, o que não ocorreu.

Segundo a advogada do casal, Cátia Menecatte, a empresa informou que seus clientes receberão o ressarcimento. Ela explica que a empresa está analisando os outros gastos do casal, como hotel e combustível. “Eles mandaram os comprovantes. Estamos aguardando o retorno, mas não vejo nenhuma resistência”.

Fonte: G1

Sobre André Luiz Badaró

Diretor Executivo e Jornalista Responsável