Últimas

Processo digital no TJSP é tema de palestra em conferência da ONU

Os resultados da implantação do processo digital no Tribunal de Justiça de São Paulo foram apresentados na COP 23, evento da ONU que aconteceu em novembro em Bonn (Alemanha). A conferência reuniu 182 países e é considerada uma das maiores rodadas de negociações sobre o clima no mundo.

O sucesso do trabalho no TJSP foi apresentado por diretores da empresa Softplan, desenvolvedora do Sistema de Automação da Justiça (SAJ), utilizado pela Corte paulista. Com a implantação do processo digital, o TJSP transformou pilhas de papel em dados que podem ser acessados com facilidade, agilidade e segurança pelos cidadãos. Desde o final de 2015, as novas ações só podem ser protocoladas por meio eletrônico.

Essa transformação também significou um enorme passo de sustentabilidade. E foi esse o case apresentado pelos executivos da empresa, Rodrigo Santos e Tiago Melo: “Menos papel, mais Justiça – o caso do maior Tribunal da América Latina”.

Numa projeção de 2016 a 2026, 46 milhões de processos digitais devem tramitar no TJSP. Isso poupa o uso de 10 mil toneladas de papel, que seriam produzidas com 250 mil árvores (2,2 mil campos de futebol), 16 toneladas de gás carbônico (8,6 milhões de carros por ano) e 977 milhões de m³ (391 piscinas olímpicas).

“O processo digital é capaz de causar uma espécie de revolução na Justiça de qualquer país. Com um ambiente de trabalho sem papel e muito mais organizado, os servidores têm uma qualidade de vida maior e se engajam nas campanhas pelo desenvolvimento sustentável porque convivem de perto com os benefícios. Eles se tornam embaixadores da ideia e reproduzem estas boas práticas na sociedade”, argumenta Rodrigo Santos, diretor de Negócios e Serviços da Softplan.

 

Fonte:  * Com informações da Assessoria de Comunicação da Softplan e

Comunicação Social TJSP – CA (texto) / Softplan (foto)

        imprensatj@tjsp.jus.br

 

Sobre André Luiz Badaró

Diretor Executivo e Jornalista Responsável